Mostrar Dados
Diana Botelho Vieira
Diana Botelho Vieira
TER 29 OCT · 19:30 SALA SUGGIA
Aumentar
  • M/6
  • "Folclores Imaginários” é uma expressão a meio caminho entre o rigor musicológico e a liberdade poética, e nomeia a criação de música original, mas tão imbuída do espírito popular, que esta parece provir diretamente das anónimas fontes rurais ou urbanas.

    Leoš Janáček (1854-1928) é o mais velho dos compositores que pertencem ao século XX em termos da linguagem musical. Nascido ainda antes de Debussy, explora a música popular do seu país natal, a Morávia, tendo recolhido o que chamou de “melodia da fala”, ou seja, a musicalidade da entoação da fala, a das pessoas da cidade, dos camponeses e até as vocalizações dos animais e os sons da natureza. Várias das peças de Janáček que constam deste recital tornaram-se conhecidas do grande público através do filme “A Insustentável Leveza do Ser”, de Philip Kaufman, baseado no célebre romance de Milan Kundera.

    No que toca ao uso da melodia popular de forma erudita, é Fernando Lopes-Graça (1906-1994) quem domina todo o século XX português, tendo recolhido milhares de melodias e usado muitas delas – ou o seu espírito – em dezenas, senão centenas, de obras. Sérgio Azevedo (n. 1968), tendo sido aluno de Lopes-Graça, recebeu do mestre o interesse pela música tradicional, e é esse folclore imaginário, visto através dos olhos de um originalíssimo compositor moravo e de duas gerações de compositores portugueses que une as obras deste recital.


     

    Diana Botelho Vieira piano

     

    Leoš Janáček Memória

    Fernando Lopes-Graça Suite nº1 in memoriam Béla Bartók

    Sérgio Azevedo Peças Rústicas, 2º Caderno

    Leoš Janáček  Por um caminho frondoso

    Sérgio Azevedo  Peças Rústicas, 1º Caderno

    Leoš Janáček Em memória…




    Classificação etária: Maiores de 6 anos



     

    Mecenas Prémio Novos Talentos Ageas

     Prémio Novos Talentos Ageas


    Carrinho de Compras Pessoal

    Editar